Selecione seu país

X
Schnuller

Desenvolvimento do seu filho - MAM Baby

Junto com os adultos

O seu filho fica cada vez mais independente. Com um pouco de orientação, eles agora são capazes de fazer tudo sozinhos, como pintar, montar brinquedos e brincar ativamente com outras crianças. Os dentes de leite já nasceram. Para que os dentes e maxilares continuem a se desenvolver de forma saudável, é hora de fazer o seu filho largar a chupeta. O jeito mais fácil é através da comunicação. Andar e correr já não são o suficiente, agora ele quer rodas. Triciclos, bicicletas sem pedais e passeios no carro com a mamãe e o papai deixam o mundo cada vez maior. E no jardim infância existem muitas coisas novas para aprender e experimentar. Você já pode começar a levar o seu filho para a piscina. Todos os tipos de atividades criativas trazem muita alegria. Tintas, papéis e telas que já vem com um desenho para colorir não são coisas caras, e são programas divertidos que promovem o desenvolvimento criativo do seu filho.

Já sou grande

Brincar requer a máxima concentração. Pode ser que nem ouça a mamãe chamando para ir dormir. 

Ser independente! Eu sei fazer tudo o que fazem o papai e a mamãe. Basta que me mostrem o buraco da camiseta onde devo passar a cabeça. Feito isso, pego a minha aquarela e começo a criar as minhas primeiras obras de arte.

A despedida da chupeta

Com o terceiro aniversário vem a despedida definitiva da chupeta. 

Os dentes de leite estão completamente formados nesta idade. Para que os dentes e o maxilar possam se desenvolver de uma maneira saudável é necessário que a criança se separe da chupeta. 

Praticamente: Já após o segundo aniversário o aprendizado da mastigação se inicia e o reflexo de sucção começa a enfraquecer. Além disto, crianças tagarelas têm menos tempo para sugar e tagarelar somente é possível sem uma chupeta na boca.

Tchau, tchau chupeta

Para algumas crianças se separar da chupeta é fácil e para outras é muito difícil se libertar deste hábito. Aquilo que se gosta não é fácil de abandonar. Agora o que conta é a paciência e a fantasia dos pais. Mesmo sendo difícil: seja conseqüente. O aconchego transmite amparo e segurança, jogos distraem e dias com bastante atividade facilitam o adormecer sem chupeta.

Dicas de parteiras

As parteiras Marietta Cronjaeger e Gabriele Stenz falam sobre as melhoresdicas para se desacostumar da chupeta:

  • Todo começo é difícil. Porém durante o dia é mais fácil recusar a chupeta: Livros para crianças, excursões ou artesanato distraem e entretém. O afeto dos pais dá conforto.
  • A chupeta somente na cama: na primeira fase em que a criança se desacostuma o adormecer com a chupeta é permitido. Porém após a criança levantar a chupeta não pode ser levada.
  • O melhor período para que a criança se desacostume permanentemente é aquele durante o qual a criança se sente bem e nenhuma mudança está por vir.
  • Um bom ritual de adormecimento facilita o adormecer sem chupeta. Como seria ler uma história ou cantar uma canção? Sendo repetida todas as noites, a criança rapidamente se acostuma a esta situação.

A despedida da chupeta pode também ser combinada com um evento especial; aqui estão algumas sugestões:

  • A criança dá de presente todas as suas chupetas para um bebê do seu circulo de amigos. Afinal ele precisará da chupeta muito mais.
  • Visita da fada da chupeta: Ela vem de noite e leva todas as chupetas e em contra partida deixa um maravilhoso presente.
  • Esta opção exige uma cooperação por parte da vendedora: A criança vai com você para a loja e “paga” com todas as suas chupetas por um presente que ela há muito tempo deseja.

O pequeno campeão

Já não basta andar e correr, é preciso um meio de transporte. Com o triciclo você pode fazer as curvas voando. Para comer, quase não precisa da ajuda da mamãe ou do papai.

O terceiro aniversário está próximo! É incrível quantas coisas esta criança  aprendeu até agora! Isso não é tudo: grandes novidades e novas emoções esperam por ela no jardim da infância.

O esporte e a criança

De volta ao esporte habitual? 
Ou provar algo novo? 
As duas coisas são possíveis também com a criança. 

Crianças de dois a três anos são bem ágeis. Acompanhá-las já é esporte. Mas também existem outras possibilidades de se manter em forma. Por exemplo, esportes familiares em novo ambiente e com variações. 

Esportes padrão, porém adequados para crianças

  • Para passear de bicicleta, são necessários um assento seguro e um bom capacete infantil. Nos primeiros passeios, é melhor optar por trajetos pouco movimentados. Pais confiantes podem colocar a criança num pequeno reboque ligado à bicicleta. Atenção: o narizinho da criança deverá estar ao nível dos canos de escapamento!
  • Correr: um grande divertimento, se o pequeno ainda gosta de ficar sentado no buggy e você dispõe de um modelo adequado ("jogger").
  • Patinar com inline skates é praticamente o mesmo que correr, só que mais rápido. O movimento dos skates tranquiliza a criança.
  • Passeios e caminhadas: colocar o filhote no canguru. É um verdadeiro treinamento para acelerar o pulso! Em etapas curtas e planas, a criança deve andar sozinha e consumir energia.

Treinamento com a criança

  • Yoga familiar: ideal porque os pequenos ainda são muito flexíveis
  • Dançar: por exemplo, curso de dança do ventre ou danças criativas para pais e filhos
  • Natação: não só é adequada para bebês, mas também para crianças de dois e três anos
  • Ginástica: algumas academias e instituições infantis oferecem programas especiais para crianças, que vão além do habitual "rolar no tapete". Pesquise na Internet: "ginástica para crianças".

Com tela e pincel

Gosto por arte abstrata? 
Pequenos artistas podem iniciar sua carreira! 

Em cada artista se esconde uma criança. Dizem que Picasso se expressou assim. Nós dizemos: em cada criança se esconde um artista.  Dos dois aos três anos de idade, os pequenos já são muito bons em pintura e desenho com lápis e pincéis. Eles adoram fazer experimentos com tintas e outros materiais. O que sai bem é bastante apresentável. 

Tela, tinta, pincel, um aventalzinho, um suporte lavável e podemos começar:

  • Telas baratas, já revestidas, e tudo o que é necessário, podem ser encontrados em lojas de artesanato ou lojas especializadas.
  • Escolha da tinta: tintas acrílicas são ideais para crianças um pouco mais velhas. São luminosas, resistentes à luz, fáceis de aplicar com o pincel e solúveis em água enquanto úmidas. Crianças menores devem experimentar primeiro pintar com os dedos, com tintas não tóxicas e fáceis de lavar. 
  • Se uma "obra" for particularmente bem feita, poderá ser transferida para uma tela maior em uma gráfica. Isto está na moda e é um criativo presente!
X