Um casal feliz com as notícias da gravidez

Semanas de Gravidez

A 5.ª semana de gestação

Teste de gravidez positivo


Na 5.ª semana de gestação, o teu bebé tem, na verdade, 3 semanas de idade e, finalmente, "mudou-se" para o útero. Descobre aqui a partir de quando é adequado fazer um teste de gravidez, porque é que o teu rebento parece agora um pequeno óvni e que outras coisas acontecem no início do 1.º trimestre!

O que está a acontecer agora dentro da barriga?

O embrião acomodou-se no útero e o desenvolvimento prossegue a todo o vapor. Os sistemas vascular e nervoso formam-se, tal como o coração, os pulmões, o intestino e os órgãos sexuais. Contudo, ainda não se reconhece muita coisa, pois o pequeno milagre é composto somente por 3 camadas (os cotilédones) e é parecido com um óvni – inicialmente, parece-se com um disco oval minúsculo do tamanho de um caroço de laranja ou de maça e, aos poucos, transforma-se num pequeno ser vermiforme.

O teu bebé tem agora o tamanho de um pequeno caroço de laranja.

O teu bebé tem agora o tamanho de um pequeno caroço de laranja.

Tal como anteriormente, na ecografia, apenas é possível detetar cavidade amniótica: esta distingue-se como uma mancha preta de 1 cm no útero.

Por enquanto, o saco vitelino ainda alimenta o embrião. A placenta apenas assume esta função mais tarde. Também o cordão umbilical existe agora apenas como um pequeno apêndice. 

Como te sentes na 5.ª semana de gestação?

A maioria das grávidas pode congratular-se, o mais tardar agora, por um teste de gravidez positivo, uma vez que o embrião garante uma produção cada vez mais intensa da hormona da gravidez HCG (gonadotrofina coriónica humana). Assim, também não ocorre a menstruação.

A HCG é expelida através da urina da mãe – deste modo, os testes podem agora indicar a gravidez. Graça a um indicador digital, os testes modernos são até capazes de indicar aproximadamente a semana de gestação, com base na concentração de HCG na urina. 

Um tampão mucoso fecha o orifício uterino para proteger o embrião contra germes. 

Podem surgir os seguintes sinais de gravidez: 

  • Fadiga: o teu corpo trabalha a todo o vapor. As hormonas alteram-se e sobretudo a progesterona, segregada em maiores quantidades, também pode fazer com que te sintas exausta. 
  • Sensação de puxão no baixo-ventre: muitas grávidas ficam preocupadas com a sensação de beliscão e puxão na barriga, uma vez que tal pode assemelhar-se à aproximação da menstruação. Mas, na verdade, está a decorrer a "transformação" para uma gravidez: o útero aumenta e os ligamentos estendem-se. Isto também pode fazer-se sentir através de ligeiras cãibras. Mas, se tiveres dúvidas, pede sempre conselhos ao teu médico ou à tua médica.
  • Mamilos sensíveis e seios doloridos: muitas mulheres sentem logo inicialmente sensibilidade ao toque na área do peito ou consideram os sutiãs com aros desconfortáveis. Também podem surgir pontos sensíveis à pressão.
  • Obstipação: a progesterona pode deixar o intestino preso. Certifica-te de que te moves regularmente, tem uma alimentação rica em fibras e bebe o suficiente.
  • Enjoos ou indisposição: presume-se que a HCG seja responsável por muitos dos desconfortos "comuns" na gravidez. Estes incluem também os seguintes pontos:
  • Nariz entupido
  • Temperatura mais elevada
  • Necessidade de urinar mais frequente
  • Apetite devorador
  • Desejos de comida ou aversão a comida

Se ainda não o fizeste de qualquer forma, agora é uma boa altura para agendar uma consulta com o ginecologista.  

Se na tua região existir a oferta de assistência por uma parteira, pode também ser já aconselhável pedires informação sobre um acompanhamento da gravidez. Mesmo que os custos de uma parteira sejam assumidos pela caixa de previdência, em muitos locais, a oferta esgota rapidamente.  

São possíveis hemorragias ligeiras como consequência da nidação ou das alterações no útero, assim como no orifício uterino – em caso de dúvidas, esclarece-as com o teu médico e cuida-te. 

Mesmo que precises de medicamentos, deves deixar imediatamente de os tomar até teres aprovação médica. Isto também se aplica a medicamentos à base de plantas, pois estes podem igualmente ter efeitos secundários prejudiciais para ti ou para o teu bebé. 

Também já é tempo de te habituares a esta ideia: agora és responsável por duas pessoas! 


Fotografia: Shutterstock

Produtos MAM recomendados para si